Visitas às casas

Uma etapa muito importante do processo deste projeto foi a visita às casas dos integrantes do Grupo Ewé. Estas visitas ocorreram com a intenção de entender quais eram os trajetos que os corpos e corpas presentes na sala de ensaio percorriam até chegar lá. Ao chegar às casas, todes integrantes eram recebidos com um alimento que era compartilhado. Alimentos esses que poderiam ser de várias formas e com vários propósitos, alimentando o corpo, os olhos, os ouvidos, a boca, a mente, o coração ...

"O movimento de ir ao encontro do outro no território de despertar de cada corpo, para olhos e ouvidos atentos, é aprendizado e entendimento. Entendimento do que não é dito, do que não se sabe ser vivido, das construções individuais e coletivas de cada expressão, permissão e ação. Movimento de escuta e muito afeto. Pausa do eu, observação do seu, vivência do nós. Riqueza, potência e transformação. Odores, texturas, sabores, sorrisos... um jeito de corpo que requer intimidade e que precisa se sentir à vontade para acontecer e mesmo que seja por entre as frestas daquilo que se espera, acontece." (Texto escrito por Beatriz Oliveira em seu Igbasilẹ. Leia mais)

Infelizmente, devido à Pandemia do COVID-19, não foi possível realizar a visita em todas as residências.