O intercâmbio cultural Wẹẹbu Ti Imo teve como proposição ofertar aos integrantes do grupo e público em geral um treinamento corporal com artistas negros africanos e da diáspora. O intercâmbio ocorreu entre os dias 27/04 e 04/06/2022 às quartas, quintas, sextas e sábados. Em cada uma das semanas, 02 dias foram dirigidos para o público em geral mediante inscrição (quarta e sexta-feira) e 02 foram exclusivos para os integrantes do Grupo Ewé (quinta-feira e sábado).

Bolinha2.png
Tabela Weebu.png

O intercâmbio tem como objetivo compartilhar conhecimentos, movimentações e corporalidade das danças jeje (vodum), yorùbá (ketu) e capoeira angola. As oficinas serão online e ministradas em parceria com artistas convidados.


Para danças jeje (vodun) contamos com a presença do bailarino internacional beninense Guillaume Niedjo.

Guillaume Niedjo é bailarino, coreógrafo e percussionista do Benin. É bailarino do Ballet Nacional do Benin desde 2005, coreógrafo assistente da companhia Walô desde 2006 e professor de dança do Centre Choregraphique of Mr Marcel Gbeffa (Mullticorps). Tem participado como bailarino, coreógrafo e professor de dança em diversas companhias, escolas e festivais, por todo o mundo, destacando-se os nomes Seydou Boro e Massidi Adiatou (Costa do Marfim), Ballet Nacional (Portugal), Companhia Aoussou (Burkina Faso), Compagnie Walô (Benin) em parceria com a Holanda; Vincent Harisdo (Benin), Shopping Festival (Dubai), VII Jeux de la Francophonie (França), International Dance Festival (Burkina Faso), Trace Festival (Benin), Salia Sanou (Burkina Faso), Eva Azevedo (Portugal), “un pas vers l'avant”(Costa do Marfim), Luiz Anastácio (Brasil), entre outros.

Flyer Divulgação
Flyer Divulgação

press to zoom
20220428_210120
20220428_210120

press to zoom
20220427_202204
20220427_202204

press to zoom
Flyer Divulgação
Flyer Divulgação

press to zoom
1/37

Registros dos encontros com Guillaume Niedjo

Para danças yorùbá (ketu) contamos com a presença do bailarino internacional cubano Israel Valdés.

Israel Valdés começou sua carreira no ano 2003 com as práticas pré-profissionais do Conjunto Folklórico Nacional de Cuba dirigido então por Juan García e posteriormente por Manolo Micler. Rapidamente foi incorporado ao repertório profissional da companhia, realizando interpretações de corpo de baile e solista. Em 2 anos atinge a categoría de solista e após 2 anos, a pedido da direção artística, é nomeado solista principal. Estando na companhia foi selecionado como bailarino convidado por diversas companhias renomadas em Cuba como: Compañía de Danza Experimental Santiago Alfonso, Compañía Free Dance (sob a direção de Anjhara Limonta) e pela Compañía Ebony. Em 2012 é convidado como professor, bailarino e coreógrafo pela NPO Tiempo Iberoamericano para trabalhar em Fukuoka, Japão durante 6 meses. Em 2013 é novamente convidado pela NPO e regressa ao Japão por um período de 10 meses, participando de todos os eventos convocados pela NPO Tiempo Iberoamericano. Em 2013 é novamente convidado pela NPO e regressa ao Japão por um período de 10 meses, participando de todos os eventos convocados pela NPO Tiempo Iberoamericano. Realizou diversos workshops de bailes cubanos nas escolas de Dança de Salão Luiz Valença e Casa de España. Também integrou a equipe de professores do Festival Viva Cuba Fast edição Rio de Janeiro ministrando aula de Rumba. Atualmente mora no Rio de Janeiro.

Flyer Divulgação
Flyer Divulgação

press to zoom
20220604_165311
20220604_165311

press to zoom
20220521_165437
20220521_165437

press to zoom
Flyer Divulgação
Flyer Divulgação

press to zoom
1/31

Registros dos encontros com Israel Valdés

Para capoeira angola contamos com a presença do Mestre Zelão.

 

Mestre Zelão nasceu na cidade de São Luís do Maranhão e iniciou na capoeira aos 12 anos de idade com o mestre Baiano e com o contra mestre Bira no grupo de capoeira Marabaiana. Mudou-se para São Paulo na segunda metade da década de 80 e aprimorou seus conhecimentos no Grupo Cativeiro com o mestre Miguel. Em 2007, obteve bacharelado e licenciatura em História pela PUC São Paulo. O Mestre é também educador, arte educador e educador social em escolas públicas, particulares e ONGs. Em 2009, fundou a Escola Mutungo de Capoeira Angola, tendo como principal objetivo o intercâmbio, a transmissão, difusão e promoção dos saberes da capoeira angola, dando continuidade a sua permanência como atividade afro-brasileira.

Flyer 03
Flyer 03

press to zoom
20220602_204903
20220602_204903

press to zoom
20220512_193504
20220512_193504

press to zoom
Flyer 03
Flyer 03

press to zoom
1/60

Registros dos encontros com Mestre Zelão

Realização

Régua de Logos brancos.png

Este projeto foi realizado com o apoio do Programa Municipal de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo - Secretaria Municipal de Cultura